FernandoSantana

FERNANDOSANTANA paixão pelo futebol

Barrado no baile

Em 1990 fui transferido pela IBM-Recife para São Paulo. Fui morar no bairro Saúde, e ao lado do metrô, vi uma quadra de futsal. Fui lá. Pelo meu sotaque, foram logo dizendo: aguarda aí baiano, que entras já.

Desacostumado do pouco espaço, não fiz bom jogo. Dias depois, convocação dos atletas para torneio de pais e mestres no bairro do Morumbi.

Aguardava ansioso ser convocado, mas o seu Gérson(treinador), disse logo o baiano NÃO. Triste, olhei para Israel, com quem vinha jogando ultimammente. Ele entendeu, e falou: o baiano tem que ir. Só se for na reserva. No sábado, cheguei cedo e me aprontei. Faltava atletas. E tive que completar. Mas, seu Gérson foi taxativo.assim que chegar o pessoal.

Ele armou o time. Reuni o pwssoal, e expliquei: olha, não jogo de defesa, acho que Ângelo no meio distribui bem, Israel nossa segurança vai na zaga, e lá na frente eu e Márcio. Vencemos dois jogos e fomos a final contra o Pueri Domus, que tinha um boa equipe.

Entramos em campo e estava aquecendo quando o capitão deles veio falar comigo. Você não pode jogar, é muito novo. Está em toda parte, corre o campo todo, bom deslocamento, lança bem, dribla melhor ainda, chuta bem e faz gol. Quero ver sua identidade, mostrei que estava apto.

Falei prá ele que estava era querendo jogar, me divertir, depois do jogo a RESENHA com o churrasco, e a loirinha suada.

Tá aceitamos, se você ficar jogando também no nosso time. Claro que aceitei. Aí o seu Gérson, falou: só quando não houver jogo do Instituto Santa Amália. O BAIANO agora é meu TITULAR.

Que bom, de barrado no BAILE a mais uma conquista sem precisar dizer que tinha sido profissional de futebol.

FernandoSantana

Categoria: Causos

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.