FernandoSantana

FERNANDOSANTANA paixão pelo futebol

Cadê a barra?

Ano 1972, o grande Evaristo de Macedo, falou para entrarmos LIGADO desde o início do jogo.

Sol quente de um domingo de verão, levei ao pé da letra as palavras do mestre.

O Santos de Pelé, Clodoaldo, Carlos Alberto Torres, Brecha, Edú e Cia…

O goleiraço argentino Cejas , bateu o tiro de meta duas vezes para o lateral esquerdo Zé Carlos(ex-América-RJ), que sem olhar dava um tapinha para Carlos Alberto. Eu, ligado e antenado, pensei se fizerem mais uma vez vou de cara prá o gol.

Repetiram e se deram mal, pois quando gritaram tem ladrão(termo usado quando o adversário vem roubar a bola), eu já rapidamente dei um tapa na bola e entrei na área.

Num momento olhei, pensei, e disse a mim mesmo: PÔ CADÊ A BARRA?

Aquilo à minha frente não era um goleiro NÃO, gente a muralha da China é fichinha.

Porém, arisco e bom driblador, vamos sair desse LABIRINTO e caminhar para fazer o gol.

CEJAS, pensou por aqui não passas. E, eu: se achas que não, só se fizeres pênalti.

E foi o que ele optou. Veloso foi lá e com a maestria de sempre abriu o placar. Mas, nunca me senti tão orgulhoso de ter ouvido seu Evaristo. Porque foi o diferencial para ao final deste jogão termos vencido por 3 x 2. Ramon fez 2 gols, e neste ano tornou-se artilheiro.

FernandoSANTANA

Categoria: Artigos

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.