FernandoSantana

FERNANDOSANTANA paixão pelo futebol

Traição familiar

Ano 1974, Náutico e Santa Cruz se pegam nos Aflitos. De um lado, os tricolores na sua trajetória em busca do tão sonhado hexacampeonato; do outro, o Náutico de titio Fantoni, com Neneca, Beliato, Sidcley, Juca Show, Jorge Mendonça, Vasconcelos, Paraguaio e outros craques. Entre eles , um cristão novo, que ajudara o Tricolor do Arruda na caminhada do penta 1969/73 , agora reforçando o time dos Aflitos.

Vamos ao Clássico das Emoções. Jogo pau a pau, Vasconcelos lança e descobre o garoto, este arisco invade a área de Gilberto, dribla-o fazendo um golaço.

Jogo termina com o placar de 1 x 0 para o Náutico.

Como fazia sempre o ex-tricolor foi a casa de seus pais.
Estendeu a mão: “a benção meu pai”.

Que benção que nada, como você faz um gol daquele no meu Santinha. Seu José, aborrecido com o fato fala para sua esposa:
Dona Saúde diga a seu filho que hoje não abençôo, e ponto final.

Cabisbaixo, perguntou: ô mãe que fiz de errado?

Liga não, isso passa logo.

Vou fazer um cozido que teu pai gosta muito e ele sela a PAZ com você.

Nome do atacante? Fernando Santana

Causo contado a Lenivaldo Aragão por Fernando Santana nas caminhadas pela manhã na praia de Boa Viagem

Categoria: Boleiro, Causos

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.