FernandoSantana

FERNANDOSANTANA paixão pelo futebol

Do sonho à realidade – 1969/1973

Quem imaginava que o Clube das Multidões, vindo de um jejum de 10 anos, teria forças para evitar o heptacampeonato do aristocrático de Rosa e Silva? O Náutico ainda mantinha a base com que conquistara seis campeonato seguidos.
Mas, sem dinheiro para grandes contratações, o presidente Zé Albquerque entregou nas mãos do Mestre Gradim, os meninos do Arruda. Vale ressaltar o trabalho da dupla: Lourinaldo Rodrigues e do excelente Alexandre Borges. Mesmo como juvenis, treinávamos com os profissionais para adquirirmos confança. Toda a base composta de: Naércio, Valdir, Rivaldo, Cuíca, Zequinha, os irmãos Luciano e Paulo Veloso, Joel, Nivaldo e Fernando Santana. Juntamo-nos aos já profissionais: Birunga, Norberto, Uriel, Josenildo. Gradim ainda pediu a contratação dos nordestinos: Facó, Mirobaldo, Zé Júlio, ERB, Vilanova do Antonino. Do Central(ZITO) e Cabral(Ferroviário).

Foi com esse plantel que eliminamos o Náutico, indo disputar com o Sport uma série melhor de três, sendo necessário uma quarta partida. O primeiro jogo, na Ilha do Retiro (3 x 0) com Fernando Santana marcando 2 golaços, Salim selou a goleada. No segundo jogo tivemos a oportunidade de vencer, mas (0 x 0), o que fez-nos disputar uma terceira partida. O Sport venceu por 2 a 0, e na prorrogação (0 a 0). Os dois times foram disputar o título numa quarta partida nos Aflitos. Vitória do Santa Cruz por 2 a 1,
gols de Facó e Luciano Veloso, enquanto Duda (Sport).
Festa tricolor, desfile no carro do Corpo de Bombeiros pelas ruas do Recife até o Morro da Conceição com o povão acompanhando e festejando a inédita conquista.

*** Depoimento de Fernando Santana a Lenivaldo Aragão DP – 19 “Paixão Traduzida em Cores” *** Continua ***

Categoria: Artigos

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.