FernandoSantana

FERNANDOSANTANA paixão pelo futebol

Difícil decisão

Escolha de meu pai para mim: padre, engenheiro ou militar.
Isso na cabeça dele.
Na minha, um só desejo: jogador de futebol.
Passei; mandado por ele, dias na Colônia dos Padres Salesiano-Casa de Retiro em Jaboatão.
Joguei bola o dia todo, depois fugi para casa de vó Tereza(sua mãe).
Engenharia, aí sim…cheguei perto…e hoje os doutores:Galoxa, Adroaldo e Rômulo, sabem bem.
Inclusive juntaram-se para pagarem meu cursinho no Heitor Maia.
O futebol no ano de 1964, salvou-nos numa melhoria de vida.
O Santa Cruz bancou um valor o irrecusável.
Mesmo meu tio padrinho Rochinha, dobrando o valor para trabalhar com ele.
Tudo muito rápido para decidir.
Isso sem falar na convocação para além de servir a pátria, jogar na seleção do exército.
Infelizmente; pedi para ser desconvocado, explicando que como arrimo de família precisava dar o conforto familiar.
Fui atendido.
Meu pai de um lado foi preponderante ao fechar comigo o dueto: ESTUDO COM FUTEBOL.
Devo muito pelas cobranças, pela persistência do que sempre me falava: “um homem sem canudo não é ninguém”.
Prometi e cumpri.

Fernando Santana

Categoria: Artigos

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.