FernandoSantana

FERNANDOSANTANA paixão pelo futebol

Tem que ser,

Sofrido.
Foi assim que conheci meu santinha quando em 1963 fui fazer teste no peneira.
Meiões rasgados, camisas surradas muito pouco para um time de primeira divisão.
Meu pai foi logo avisando: se vire para passagem, pois meu dinheirinho só para seus estudos.
Pois bem, fui vi e venci, sofrimento como até HOJE, mas nunca deixei de acreditar nessas três imaculadas cores. Com sangue, suor e lágrimas é o que percebo nessa massa. Que vaia, que cobra mas está sempre presente.
Vamos para o mata-mata sabendo das dificuldades, porém um desejo de galgar cada degrau até conseguirmos ficar entre os quatro finalistas.
Nosso técnico sabe das coisas e terá a incumbência de alertar aos nossos guerreiros como fazer para conquistarmos as vitórias.

Fernando Santana

Categoria: Coluna

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.